Cáritas de Colatina presente na 25ª Feira Internacional de Economia Solidária, em Santa Maria (RS)

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Colaboradores da Cáritas Diocesana de Colatina participaram, na última semana da 25ª Feira Internacional de Economia Solidária (Feicoop), 3º Fórum de Economia Solidária e 3ª Feira Mundial de Economia Solidária, em Santa Maria (RS). Representaram a Cáritas, Glauziana Veronez e Lucia Fonseca, membros do Projeto de Economia Solidária e Sustentabilidade – Proes.

O evento é a celebração do comércio justo e do cooperativismo. Por lá, se via muita coisa bonita casacos, meias, e tinham também as delícias, queijos, salames, linguiças, biscoitos, pães, frutas diversas, vinhos, cervejas e cachaças artesanais.

Os povos indígenas apresentaram sua cultura, sua arte. Os povos quilombolas e comunidades tradicionais também compartilham seus saberes. Mais de 302 mil pessoas passaram por lá, conversam, trocaram experiências, comercializaram e adquiram produtos. Houve também uma programação intensa com rodas de conversas, debates, seminários e reuniões.

A 25ª Feicoop contou com a representação de 3,5 mil empreendimentos organizados em rede, 583 municípios, 26 estados brasileiros e Distrito Federal; fóruns locais e macrorregionais de economia solidária no país; Fórum Brasileiro de Economia Solidária; entidades públicas e privadas; Universidades; Fundos Solidários; Redes Nacionais e Internacionais de Economia Solidária; representação de 25 países e cinco continentes. Foram expostos mais de 10 mil variedades de produtos oriundos da Economia Solidária.

“A feira de Santa Maria é uma troca de saberes, onde todos são ensinantes e aprendentes. As rodas de conversas e as oficinas foram para mim um espaço especial de troca de experiências, nelas foi possível perceber que a economia solidária é possível e que já é uma realidade crescente no mundo. Uma cultura valorizada e cada dia mais presente. Todos que estão envolvidos têm a consciência do trabalho coletivo, seus deveres e direitos e a convicção que somente juntos é possível construir uma nova sociedade”, destacou Lúcia Portes.

Para Glauziana Veronez, poder participar da feira de Santa Maria, foi uma experiência única, extremamente rica, cheia de aprendizados e trocas de experiências. Ela pôde perceber a grandeza do movimento que colabora fortemente com a transformação social e econômica do país. A organização e a interação de vários países que estiveram presentes, mostraram a ela o quanto a economia solidária é capaz de mudar realidades. Destacou que é gratificante ver a atuação da Cáritas em tantos estados, cada uma atuando de forma a respeitar e valorizar a diversidade brasileira, elevando cada vez mais essa nova economia.

Deixe um comentário

Últimos Posts

%d blogueiros gostam disto: