Associação de Catadores de Colatina recebe novos equipamentos com recursos do Fundo Nacional de Solidariedade

A Associação Colatinense de Catadores de Materiais Recicláveis – ASCCOR, recebeu ontem (26/04), uma mesa de triagem, um elevador de cargas, dois carrinhos, uma balança e uma paleteira. Os novos equipamentos foram adquiridos com recursos do Fundo Nacional de Solidariedade – FNS, e contribuirão para qualificar e facilitar as atividades.

O Fundo Nacional de Solidariedade é fruto do gesto concreto da Campanha da Fraternidade, realizada todos os anos pelo igreja e tem por finalidade apoiar projetos que combatam a exclusão social, a partir da promoção e da organização dos próprios grupos de excluídos.

No ano de 2015 a Associação Colatinense de Catadores de Materiais Recicláveis e o Setor de Geração de Emprego e Renda da Secretaria de Assistência Social de Colatina, elaborou um projeto, que recebeu apoio do Bispo Diocesano, dom Joaquim Wladimir Lopes Dias e da Caritas Diocesana de Colatina, que após encaminhado e analisado, foi aprovado pela comissão Nacional do Fundo de Solidariedade, liberando para a proposta o valor de R$ 15.000,00 para aquisição de equipamentos.

Com esta aquisição, os Catadores/as ampliarão suas condições de trabalho e de renda, favorecendo a qualidade de vida. Além disso, eles pretendem potencializar ações de educação ambiental nas comunidades, igrejas e escolas atingindo mais pessoas no envolvimento da coleta de material reciclado.


Conheça a Associação Colatinense de Catadores de Materiais Recicláveis:

A ASCCOR – Associação Colatinense de Catadores de Materiais Recicláveis foi fundada em 27 de fevereiro de 2014, a partir do Termo de Responsabilidade Ambiental determinado pelo Ministério Público na intenção de diminuir o trabalho subumano dos lixões do Brasil, o qual exige que os municípios criem associações para gerirem e darem destino a esse material. O Município de Colatina fomentou a incubação dessa associação do grupo de catadores por meio de uma Comissão formada pelas Secretarias Municipais de Educação, Saúde, Assistência Social e a Autarquia SANEAR. Com isso os trabalhadores que já faziam a coleta de resíduos de forma individual e desorganizada se reuniram para desenvolver o trabalho coletivo através de uma Associação que teve início no Bairro Ayrton Senna e hoje trabalham num galpão alugado no Bairro Honório Fraga.
A ASCCOR possui 16 associados, sendo 7 homens e 9 mulheres, entre esses quatro são jovens, com perfil de baixa escolaridade, em situação de vulnerabilidade social, tendo no subsídio que recebem por mês, proveniente da venda dos materiais recicláveis, uma fonte de renda importante para o sustento de suas famílias. A associação integra o Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis/MNCR e atua no município para implementação da coleta seletiva com a inclusão dos/as catadores/as.
A ASCCOR contribui com geração de trabalho e renda dos catadores/as, com meio ambiente e na conquista dos direitos historicamente negados a população vulnerável deste país. Vem construindo ao longo dos anos a emancipação dos/as catadores/as e principalmente das catadoras, visto que a associação é composta em sua maioria por mulheres. Dado relevante, visto que o estado do Espírito Santo possui alto índice de violência contra mulher, sendo a dependência financeira um dos fatores que contribui com a não denúncia dessa violação de direito.
A ASCCOR tria hoje cerca de 35 toneladas de resíduos sólidos por mês, uma quantidade significativa, onde 28 toneladas deste material é comercializado por mês e não se destina ao aterro, contribuindo com o meio ambiente e a limpeza do município. Esse ano será ampliado para sete bairros a coleta seletiva porta a porta, podendo chegar a 50 toneladas triadas.

Fonte: http://www.colatina.es.gov.br

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: