Dia do Índio: respeito e valorização da história

Cáritas mantém projeto de valorização social dos indígenas em Aracruz

Nesta sexta-feira, 19 de abril, comemoramos o Dia do Índio. A figura do índio representa a essência do povo brasileiro e, por isso, hoje deve ser também um dia de reflexão sobre seu verdadeiro valor e o respeito às suas manifestações culturais.

A Cáritas Diocesana de Colatina tem, entre seus princípios, valorizar a cultura e a pessoa humana. Em Coqueiral, Aracruz, há, portanto, o Projeto Filhos da Terra que promove atividades sociais junto aos indígenas da região, desde 1990.

Os dois povos que lá se encontram estão divididos em 11 aldeias, sendo sete Tupiniquins (Caieiras Velha, Pau Brasil, Irajá, Comboios, Areal, Córrego do Ouro e Amarelos) e quatro Guaranis (Boa Esperança, Três Palmeiras, Piraqueaçu e Olho d’Água). Ao todo, esse conjunto reúne cerca de 3 mil indígenas.

O trabalho do Projeto Filhos da Terra nasceu com a finalidade de realizar ações de desenvolvimento e promoção social junto aos povos indígenas do município de Aracruz, bem como promover ações de evangelização. Ao longo de alguns anos, foi coordenado por religiosas missionárias e, depois, por leigos indígenas e não indígenas pertencentes à Paróquia Imaculada Conceição, de Coqueiral.

O projeto é uma unidade filial da Cáritas e tem esta grande tarefa: propor ações de transformação e desenvolvimento social que sejam organizadas, planejadas e de caráter contínuo a fim de garantir o protagonismo social dos indígenas.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: